terça-feira , 17 outubro 2017

Carretas trafegando na zona urbana estão com os dias contados. Prefeito busca solução para resolver o problema.

mazEm setembro de 2014 o ex-prefeito de Sena Madureira assinou um Decreto Municipal de número 159/2014 proibindo o tráfego de carretas, caminhões e ônibus que ultrapassassem os limites permitidos de cargas estipulado no Decreto que é de 18 toneladas. A justificativa da não trafegabilidade dos pesos pesados na zona urbana, é que estariam danificando as ruas da cidade, onde muitos caminhões ultrapassavam o limite permitido de carga, e devido o enorme peso, a camada asfáltica vinha sendo danificada e isto ocasionava transtorno não somente a veículos pequenos, mas como também pedestres e ciclistas. Além da fluidez e segurança no trânsito. Só que este decreto nunca entrou em vigor, e as carretas continuaram entrando na cidade e causando sérios problemas.

A maioria destas carretas que entram na cidade, é para deixar as mercadorias vindas do sul do país ao lojistas, comerciantes e empresários, onde a maioria para no centro da cidade que as vezes interdita a trafegabilidade, como já aconteceu várias vezes.

prefeitoPreocupado com está situação, o atual gestor prefeito Mazinho Serafim (PMDB), estará se reunindo com empresários, comerciantes e proprietários de veículos de grandes portes para acabar com isto, pois com a nova Usina de Asfalto em Sena, as ruas começaram a receber pavimentação asfáltica, e não é justo as carretas acabarem com as mesmas. “ Teremos uma conversa franca, onde estaremos mostrando os pontos positivos e negativos, pois agora é hora de todos se ajudarem para que nossa cidade não seja destruída, pois a população merece ter uma pavimentação adequada para se trafegar. Não queremos também prejudicar ninguém, mas que vamos encontrar uma solução para isto podem terem certeza”. Enfatizou.

A exemplo de outras cidades, os caminhões e carretas não trafegam mais na zona urbana e aqui vamos também encontrar uma solução para que a comunidade não seja prejudicada, como também os comerciantes. Estarei conversando com os mesmo o mais rápido possível para fazer valer este Decreto. Afinal de contas quem vem sofrendo com as ruas esburacadas é a população por causa desses veículos. Destacou.

 

Deixe uma resposta