quarta-feira , 19 dezembro 2018

MPAC lança projeto nas escolas para prevenir criminalidade

IMG_5030 (Copy)O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) lançou,  o Projeto ‘Escola e Família — espaço interativo’ na escola Padre Carlos Casavecchia com o objetivo de fortalecer a prevenção contra a violência e a promoção de direitos. A cerimônia aconteceu na quadra poliesportiva da escola, localizada no bairro Xavier Maia, em Rio Branco, e contou a presença da procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, e várias autoridades.

O projeto é coordenado pela 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa de Infância e Juventude em parceria com várias instituições públicas. Com a iniciativa, o MPAC quer garantir o direito à vida dos adolescentes e jovens em situação de risco a partir do enfrentamento e prevenção do abandono e evasão escolar.

“O projeto tem esse nome para demonstrar que somente juntos vamos conseguir resolver o problema de violência nas escolas, juntos com a direção de escola, equipe técnica, Secretaria de Educação, família. Somente quando a escola for um espaço integrado em que todos estejam presentes, é que vamos conseguir diminuir a violência na escola”, disse a promotora de Justiça Diana Soraia Pimentel.

katia rejane (Copy)A procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane, desejou êxito ao projeto e disse que a integração na comunidade escolar só traz benefícios. “Desejo que esse projeto seja mais uma ação exitosa do Ministério Público, e que possa alcançar o número máximo de crianças, adolescentes e jovens através da interação com a escola, família e a comunidade”, destacou.

O projeto

Várias ações serão desenvolvidas durante o ano na escola Padre Carlos Casavecchia, que será a primeira experiência do projeto. Para isso, foram escolhidos alunos do 9º ano do ensino fundamental, com idade entre 14 e 15 anos, os quais serão acompanhados, bem como a família, por uma equipe de psicólogos, profissionais do direito, assistentes sociais e pedagogos.

A proposta também contempla a inserção dos adolescentes em cursos de profissionalização, no intuito de ampliar as oportunidades profissionais.

dra diana (Copy)Segundo a diretora Renildes Silva Novaes, as atividades vão propiciar condições de acesso e permanência do aluno na escola. “Como é um projeto-piloto, estamos bem esperançosos que que vai dar certo, é a maneira de a gente trazer a família para a escola, desenvolver um projeto junto com os pais e os alunos, abordando indisciplina, criminalidade, para tentar ver se essas crianças não vão se perder por aí. E vamos desenvolver um trabalho durante o ano todo”, comentou a diretora.

Jaideson Peres – Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Tiago Teles

Deixe uma resposta