terça-feira , 23 abril 2019

“O sonho de integrar o Acre com o Brasil continua vivo”, diz Gladson Cameli em cerimônia de posse

g1 (Copy)Governador e seu vice, Major Rocha, são empossados sob o carinho de uma multidão na praça Eurico Dutra, em Rio Branco

Mais de seis mil pessoas compareceram à cerimônia de posse do governador Gladson Cameli (PP) e do vice-governador, Major Rocha, nesta terça-feira, 1º de janeiro, na Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) e na Esplanada do Palácio Rio Branco.

Por volta das 17 horas, acompanhado da esposa, Ana Paula, e do filho, Guilherme, de 5 anos, o Gladson seguiu direto para o plenário da Aleac, onde foi recebido pelo presidente da Mesa Diretora do Legislativo, o deputado Ney Amorim e os demais parlamentares.

g14 (Copy)Na Assembleia, o novo governador foi empossado, ao prestar o compromisso constitucional, em que prometeu “defender e observar as leis das constituições do Estado do Acre e Federal, para o bem geral do povo acreano”.

Em seguida, assinou o livro de posse, e foi a vez de Major Rocha cumprir o mesmo rito. O vice-governador estava acompanhado dos pais e de irmãos, entre eles a deputada federal eleita Mara Rocha (PSDB).

“Hoje estamos aqui para celebrar e renovar dois sentimentos: o primeiro deles é a confiança na democracia. A democracia é o pilar que sustenta histórias, visões e sonhos diferentes, todos em equilíbrio na busca de soluções para o futuro do nosso povo”, disse Gladson Cameli.

“O segundo sentimento é resultado do primeiro: responsabilidade. Carregamos nas costas a missão de corresponder aos anseios da população. Uma gente solidária, trabalhadora, ordeira e esperançosa no amanhã, que merece ter um futuro tão grande quanto as suas qualidades”, completou o governador, no plenário da Aleac, para uma Casa lotada de autoridades, parlamentares, jornalistas e populares que foram prestigiar a solenidade.

Ao término da cerimônia, o governador já empossado passou em revista a Guarda de Honra, da Polícia Militar, saindo do início da rua Arlindo Porto Leal, próximo à Catedral Nossa Senhora de Nazaré, até a esplanada do Palácio Rio Branco.

g10 (Copy)No trajeto, com gestos de grandeza e de humildade, Gladson, ao lado do filho, quebrou o protocolo por duas vezes. A primeira foi quando parou para beijar a Bandeira do Acre, do porta-estandarte da Guarda, e a segunda quando foi de encontro à população que assistia com alegria a solenidade, a partir do cordão de isolamento.

Aos gritos de “viva o governador” e de “seja bem-vindo, Gladson”, ele foi abraçado e aplaudido pela multidão que foi viver de perto o ato solene. Dali, Gladson, Rocha e suas famílias seguiram para o dispositivo de honra instalado no salão externo da Aleac, onde dali o governador acenou por várias vezes para as pessoas que o felicitavam desde a praça Eurico Dutra.

A estimativa é de que mais de seis mil pessoas estiveram na cerimônia, segundo estimativa da Polícia Militar do Estado do Acre.

Gladson recebeu a faixa do pai, Eládio Cameli, e lembrou do tio Orleir

A segunda parte da solenidade, ao anoitecer, aconteceu na esplanada do Palácio Rio Branco, com a participação dos novos secretários e familiares dos novos mandatários do Executivo.

O pastor José Paulo Machado leu cinco versículos do Salmo 20, da Bíblia, enquanto que o Bispo Dom Joaquim Pertiñez, uma carta do papa Francisco pelo Dia Mundial da Paz, comemorado nesta terça-feira, 1.

Já às 18h25, estudantes do Colégio Militar Tiradentes seguiram em direção às escadarias do Palácio em cortejo com a faixa governamental, ao som do Tema da Vitória de Ayrton Senna. A peça foi entregue ao novo governador pelo seu pai, Eládio Cameli.

g3 (Copy)No Palácio, o discurso de Gladson foi breve, mas pleno de significado histórico, ao acender a chama da esperança por um Acre livre das amarras do subdesenvolvimento e das mazelas sociais. “Os caminhos da vida e da história sempre encontram uma forma de nos dizer que a justiça do tempo é exata e perfeita. O sonho de integrar o Acre ao Brasil continua vivo”.

“Duas décadas após meu tio chegar ao Governo do Estado, aqui estou eu para dizer que o seu sonho de integrar todo o nosso estado continua vivo, agora com a integração do Acre ao Brasil através do desenvolvimento econômico e social”, disse, em referência ao tio, o ex-governador Orleir Cameli.

E prosseguiu, dizendo: “a história nos mostrou que a política feita com o tempero da revanche separa o povo dos políticos e não será esse o caminho que o Acre irá traçar a partir de agora. Posso garantir: quem chega ao governo, chega com o peito carregado de amor e gratidão pela vida e pelas pessoas!”

A cerimônia chegou ao fim com apresentações dos acordes do coral e orquestra do Conservatório Musical do Vale do Juruá, do Ministério Público do Estado do Acre, e do 61º Batalhão de Infantaria e Selva, do Exército Brasileiro de Cruzeiro do Sul.

Em seguida, houve um show com fogos de artifício que durou mais de meia hora, e o ato de nomeação da equipe de governo, do secretário de Estado da Casa Civil e do Chefe do Gabinete Militar.

Assessoria de comunicação

g15 (Copy) g3 (Copy) g10 (Copy) g9 (Copy) g8 (Copy) g7 (Copy) g6 (Copy) g5 (Copy) g11 (Copy) g14 (Copy) g13 (Copy) g12 (Copy) g2 (Copy) g1 (Copy)

Deixe uma resposta