terça-feira , 26 março 2019

Procuradora-geral reúne vencedores do 9º Prêmio de Jornalismo para entrega oficial de premiação

IMG_0788-662x441 (Copy)A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, realizou, na manhã desta quinta-feira (10), a premiação dos vencedores da 9ª edição do Prêmio de Jornalismo do MPAC. Os profissionais foram aclamados em cerimônia realizada no dia 13 de dezembro.

IMG_0823-1-662x441 (Copy)No gabinete da Procuradoria Geral de Justiça, os jornalistas Alexandre Noronha (Foto), Eduardo Gomes (Radio), Alcinete Gadelha (Impresso) e Jefson Dourado (Televisão), receberam, das mãos da chefe do MPAC, os cheques correspondentes aos valores em dinheiro. O jornalista Resley Saab, vencedor na categoria Webjornalismo, não pôde comparecer em razão de compromissos profissionais.

A premiação é um reflexo do resultado das conquistas e batalhas que os profissionais da imprensa encaram, diariamente, para fazer jornalismo com ética, qualidade e responsabilidade social. Os valores chegam ao montante de R$ 12 mil, e foram alcançados mediante patrocínio de 17 parceiros.

“Ao longo do tempo, nosso Prêmio de Jornalismo tem sido bastante prestigiado. Quero parabenizá-los pelas produções muito bem fundamentadas. Não tenho propriedade para falar como uma profissional do jornalismo, mas falo como uma boa leitora”, disse Kátia Rejane.

IMG_0823-1-662x441 (Copy)Há nove edições estimulando e reconhecendo o trabalho de profissionais da imprensa, envolvendo a mídia como difusora de informação com a intenção de esclarecer o cidadão sobre a função social do Ministério Público, o Prêmio de Jornalismo tornou-se referência estadual e nacional no relacionamento com a imprensa, sendo considerado, por isso, uma importante iniciativa na difusão da cidadania e transparência pública.

“Acho que o trabalho do jornalista em mostrar as coisas, contar as histórias da nossa sociedade, é importante não só para a democracia, mas para conhecer o trabalho de instituições como o Ministério Público. Embora seja uma instituição que, há muitos anos, desde a Constituição de 88, existe, poucas pessoas sabem a importância dela e o trabalho que ela desenvolve”, diz um dos premiados, jornalista Jefson Dourado.

Ele ainda acredita que, quando o MP se alia à imprensa, envolvendo a mídia como parceira para se chegar à opinião pública, jornalistas são incentivados a aprimorar os conteúdos de suas publicações.

“Isso só contribui para termos uma sociedade com mais conhecimento, que possa exigir mais de seus direitos e ser mais responsável com seus deveres. O Prêmio de Jornalismo é esse incentivo e só quem ganha é a sociedade”, ressalta.

Segurança Pública e Direitos Humanos

A 9ª edição do Prêmio de Jornalismo tinha como tema ‘Segurança Pública e Direitos Humanos – A vida em pauta’. A intenção era suscitar o debate a respeito da violência e da criminalidade, o direito à proteção da vida e a atuação do Ministério Público acreano no sentido de preservar as garantias fundamentais e o Estado Democrático de Direito, fazendo com que a sociedade conheça melhor o trabalho e a função da instituição.

O convidado de honra foi o jornalista Thiago Reis, do portal de notícias G1, que falou aos presentes sobre sua experiência na coordenação do projeto ‘Monitor da Violência’, iniciativa que levanta e analisa periodicamente os números relacionados a crime e violência em todo o Brasil.

André Ricardo – Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Tiago Teles

IMG_0809-1-662x441 (Copy) IMG_0798-662x441 (Copy) IMG_0815-662x441 (Copy) IMG_0774-662x441 (Copy)

Deixe uma resposta