domingo , 20 junho 2021

Pessoas com comorbidades começam a ser vacinadas contra a covid-19 em Sena Madureira

Na manhã desta segunda-feira (03), a Prefeitura de Sena Madureira, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde deu início à imunização contra a covid-19 nas pessoas com comorbidades no município.

De acordo com o coordenador de imunização da secretaria Municipal de Saúde, Donizete Fernandes a equipe irá seguir a orientação do Ministério da Saúde. Portanto nesta primeira fase serão vacinados todos os portadores de Síndrome de Down com idade entre 18 e 59 anos, portadores de doenças renais e crônicas, à exemplo dos que realizam hemodiálise, também com idade entre 18 e 59 anos, gestantes e puérperas (mulheres em até 45 dias pós-parto) com comorbidades, à partir dos 18 anos em diante, pessoas com comorbidades com idade de 55 à 59 anos, além dos portadores de doenças permanentes, como cadeirantes, e os que vivem acamados, com idade entre 55 à 59 anos.

A Secretária Municipal de Saúde, Nildete Lira, destacou a importância desse dia, no calendário vacinal do município. ” Estamos tendo mais um avanço significativo no processo de vacinação em nossa cidade, que é o início da aplicação da vacina em pessoas com comorbidades. Nossa equipe está empenhada em fazer com que esse trabalho seja realizado com toda responsabilidade e celeridade possível. Qualquer dúvida, a população pode procurar a Unidade de Básica de Saúde do seu Bairro, que eles tem todas as informações referente à esse assunto. Quero agradecer ao nosso coordenador Donizete e toda a equipe que compõe a vacinação pelo esforço, e dedicação nesse trabalho que vem tendo um resultado super satisfatório. Agradeço também ao prefeito Mazinho Serafim e vice-prefeito por todo apoio dado a nossa equipe no tocante às ações de Saúde”, disse Nildete Lira.

Vale destacar que as vacinas já foram distribuídas em todas as Unidades Básicas de Saúde do município, e os moradores podem se dirigir à unidade mais próxima para ser vacinado, portando documentos de identificação, e algum laudo ou documento que comprove ser portador de comorbidades.

Ricardo Amaral – Secom

Deixe uma resposta